quarta-feira, janeiro 18, 2017

ANYBODY ELSE

Há vários trabalhos de mixagens com músicas dos Beatles, algumas com mistura de mais de uma canção, chamadas de mashups (o termo mashup veio da música, mais especificamente da eletrônica e significa misturar. Na música mashups são visíveis em mixagens feitas por DJs que a partir de uma música e sua melodia, obtém-se outra a partir de suas marcações).

James Richards produziu um trabalho, a que ele chama Everyday Chemistry e jura ser ser ele nada mais nada menos do que uma sessão de gravações feita pelos Beatles... Se você ficou curioso, vá até o site dele (clique aqui) e leia a história fantástica que ele criou a respeito dessa fita...

Mas agora vamos ouvir uma dessas canções 'criadas' por ele. Cool! Listen!

segunda-feira, janeiro 16, 2017

RED TONIGHT

Yes It Is é uma canção escrita por John, principalmente, em 1965 e creditada a Lennon / McCartney.

Ela foi lançada primeiramente como lado B de Ticket to Ride em 09 de abril de 1965.

John dizia que Yes It Is, juntamente com Run For Your Life, It's Only Love e Dig a Pony eram as canções que ele menos gostou de fazer. Em sua entrevista de 1980 na revista Playboy ele descreveu Yes It Is como uma tentativa de reescrever This Boy, que não funcionou. Paul, por outro lado, descreveu como "uma canção muito fina de John" e afirmou que, por sua vez, apenas "ajudei a terminá-la.".

No decorrer de uma sessão de cinco horas de gravação, os Beatles tentaram catorze takes da faixa base antes de aperfeiçoá-la, o que foi mais do que qualquer outra canção que gravaram em 1965. O dia foi 16 de fevereiro, mesmo dia que George completou I Need You. Depois de finalizarem a faixa base, John e Paul gravaram as vozes em três horas, cantando juntos.

Ouça agora o take 1 de Yes, It IsOk, John!



Posteriormente, a filha do escritor Fernando Sabino e ex-integrante do grupo vocal Céu da Boca, Verônica Sabino, apareceu em 1986 com a música Demais, versão de Yes, It Is, feita por Zé Rodrix e Miguel Paiva. Ouça!

sábado, janeiro 14, 2017

A KID NAMED SID

De 7 de fevereiro a 31 de março de 1977 Paul realizou a primeira sessão de gravações, na Abbey Road, para o seu próximo álbum London Town, que foi lançado em 31 de março de 1978. 

Nesse dia foram gravadas as músicas Londow Town (que Paul escreveu em Perth, Australia – Escócia e México!), Delivery Your Children (escrita durante as sessões do álbum Venus and Mars em Los Angeles) e Girl’s Shool (lado B de Mull of Kintyre). 

A segunda sessão só aconteceu em 1º de maio de 1977 num iate (isso mesmo!) chamado Fair Carol nas Ilhas Virgens! O primeiro nome para o álbum foi Water Wings, pois Paul montou um estúdio no barco e gravou várias outras músicas, entre elas Boil Crisis, não lançada oficialmente até o dia de hoje. 

1977 era o ano da explosão do Punk Rock na Inglaterra, que é um movimento musical e cultural que surgiu em meados da década de 1970 e que tem como características principais músicas rápidas e ruidosas, com canções que abordem ideias políticas anarquistas, niilistas e revolucionárias. Também abordam em suas letras problemas sociais como o desemprego, a guerra, a violência e drogas; ou o contrário disto: temas como relacionamentos, diversão e sexo. O visual agressivo e rasgado, chocante, que foge dos padrões da moda e da sociabilização, a linguagem despudorada, a filosofia “faça-você-mesmo” (Do It Yourself em inglês, ou, numa sigla, DIY), a imagem “anti-ídolo” (inclusive sem ser obrigado a tocar corretamente seu instrumento) e atitudes destrutivas também são outras características do punk; embora, lógico, nem todas as bandas tenham seguido ou sigam tal padrão. 

O movimento se opôs, principalmente, aos excessos do rock progressivo, do fusion e do hard rock quando, em 1977, invadiu a Inglaterra via Estados Unidos. Neste cenário, a banda punk de Johnny Rotten, o Sex Pistols, estava em evidência e Rotten usava uma camiseta na qual se lia “Odeio o Pink Floyd”, bem característico da postura iconoclasta do movimento. A banda era composta originalmente por ele, o vocalista Johnny Rotten, o guitarrista Steve Jones, o baterista Paul Cook e o baixista Glen Matlock. Matlock foi substituído por Sid Vicious no início de 1977 e Sid passou a estar sempre em evidência na mídia devido ao seu comportamento pra lá de excêntrico e, claro, chamativo. 

Daí, Paul McCartney resolveu “contar uma historinha sobre Sid” na canção Boil Crisis (algo como Crise das Espinhas) como que numa resposta às provocações do movimento que caía matando sobre o rock progressivo e até mesmo o rock tradicional. E o fez no estilo punk, com uma letra bem maluca, porém, acredito, Paul nunca se sentiu bem em lançá-la e, portanto, como já dito, ela é inédita até hoje. Listen!

quarta-feira, janeiro 04, 2017

I HAD NINETEEN DATES

A postagem de hoje traz George Harrison interpretando Everybody's Trying To Be My Baby junto de um dos seus ídolos: Carl Perkins, autor da canção. É visível a alegria de George, pois ele a gravou no álbum Beatles For Sale, de 1964.

A filmagem é do dia 9/9/1985 no Capitol Theatre - Passaic, NJ. Listen!

terça-feira, novembro 01, 2016

SECRET CELEBRATION

No DVD de Paul de 2002, Back in The U.S., há um dispositivo que aciona o acesso a um Website Secret Show, no qual Paul apresenta canções adicionais em áudio e vídeo, material que não foi incluído no DVD ou em qualquer outro lugar.

Hoje, do Website Secret Show, você vai ouvir Paul ao piano fazendo uma jamzinha de Celebration, canção do seu segundo álbum de músicas clássicas chamado Standing Stone, lançado em 29 de setembro de 1997. Very nice!





E, no ano de 2010, na noite do dia 2 de junho, Paul McCartney recebeu o Gershwin Prize for Popular Song, nos Estados Unidos. O prêmio presta homenagem a artistas por sua contribuição à música.

A premiação leva o nome dos compositores George e Ira Gershwin, cujas coleções estão na Biblioteca do Congresso. "Os Beatles podem não ter sido o primeiro grupo de rock, mas eles derrubaram os muros para todos os outros. No âmbito da canção popular, poucas obras são tão conhecidas nas últimas cinco décadas como as dos Beatles”, afirmou Obama na ocasião.

O Gershwin Prize foi entregue pelo presidente Barack Obama na Casa Branca, em um evento que contou com apresentações de Stevie Wonder, Elvis Costello, Jonas Brothers, Dave Grohl, Herbie Hancock, Corinne Bailey Rae, Emmylou Harris e Faith Hill, além do comediante Jerry Seinfeld e, claro, do próprio Macca. Na ocasião, o pianista Lang Lang interpretou exatamente a canção Celebration. Vamos ouvir? Show!

quinta-feira, outubro 27, 2016

DOROTHY

Surpreenda-se mais uma vez com John Lennon em She´s a Friend of Dorothy 
Por Celso Rommel

Uma composição não lançada de John Lennon que poderia ter sido um hit. Infelizmente ele não teve tempo de finalizá-la, como bem sabemos.

Friend of Dorothy é uma gíria para designar alguém homossexual, com todas as lantejoulas drags do mundo underground e até referências à "rainha da Discothéque".

É toda composta na terceira pessoa, bastante incomum para o trabalho majoritariamente pessoal e autoral do beatle.

Para um fã que não conhecia, ouvi-la é algo agradável e consolador, o mais próximo de um contato post mortem com o ídolo.

O bom humor e a melodia cativante na minha opinião soariam muito bem nos anos oitenta, inclusive nas pistas de dança.

Outro fato interessante é que a música é alto astral, ao contrário de muita coisa deprê que ele andava compondo.

A versão de Los Escarabajos (Espanha) é muito boa e traz o que se poderia esperar de uma gravação de Lennon, incluindo o timbre de voz bastante parecido.

Ocorre porém que John era o improvável em pessoa e a música poderia ter ganhado um contorno bem diferente, eu arriscaria dizer, até mais moderno, como soou na época, por exemplo, o disco Double Fantasy.

Só ouvindo mesmo. Confira:



E aqui uma versão com a banda Los Escarabajos:

 

Sensacional! Obrigado, beatlefriend Celso Rommel! Yeah!