sábado, novembro 28, 2015

LENNON X McCARTNEY

Uma discussão frequente entre fãs dos Beatles é a questão da troca de mensagens nas músicas entre John e Paul, enquanto eles eram parceiros no grupo. Alguns acham pura paranoia, outros juram que elas existiram. Bom, o que se tem discutido é que tudo começou com Paul compondo Hey Jude, lançada em 26 de agosto de 1968, que ele afirma ser para Julian, o filho de John. Como se sabe, Julian, com apenas 5 anos de idade, estava passando por momentos delicados com a separação dos pais, John e Cynthia. Dizem que, na verdade, Hey Jude seria uma mensagem para John segurar as pontas (... pegue uma canção e a torne melhor... não carregue o mundo nos seus ombros...). O próprio John achou, na época, que a canção era mesmo para ele.

Posteriormente, John compôs a música Don't Let Me Down, provavelmente em janeiro de 1969, que, segundo alguns, é um pedido para que Paul o entenda e não o abandone, pois ele estava amando pela primeira vez (Yoko), que tal amor era para sempre e coisa e tal. Daí, ainda segundo aqueles mesmos alguns, Paul responde com Oh! Darling, composta aproximadamente em maio de 1969 (juram que em determinados momentos Paul canta Oh! Johnling!) dizendo num dos versos que ele nunca o deixará (I'll never let you down...).

Ok. Já depois da separação dos Beatles, Paul lança o seu segundo álbum denominado Ram, em 28 de maio de 1971. Só que o momento era bem outro, com brigas e processos sobre os negócios dos Beatles, mostrando Paul e John em ferrenha oposição. Então, no Ram, Paul aparece segurando um carneiro (ram) pelos chifres e coloca na contra-capa um besouro (beetle!) em cima de outro... Isto causou uma grande raiva em John, que também viu insinuações contra ele nas músicas Too Many People (too many people preaching fantasies) e em The Back Seat of My Car (we believe that we can't be wrong)... Humm... Seria o hábito de interpretar as músicas de Paul nos "velhos tempos"?

Pois bem. Se tais detalhes no álbum Ram não foram tão diretos assim, John não se fez de rogado e, para quem quisesse ouvir, tascou a lenha em Paul no seu álbum Imagine, lançado em 8 de outubro de 1971 na Inglaterra. Nele, na música How Do You Sleep? (com George Harrison na guitarra), ele canta que a música de Paul soa como muzak (tipo de musiquinha de consultório de dentista) para seus ouvidos; que uma carinha linda poderia durar um ano ou dois e que depois ele teria que mostrar seu real valor; que Paul só tinha feito Yesterday na vida; que depois de tudo Paul tinha que ter aprendido Something... Ou seja, mais explícito impossível! Ah! John ainda colocou no álbum uma foto sua segurando um porco pelas orelhas, quase na mesma pose do ex-parceiro!

Bom, depois disso Paul ainda fez uma suposta tréplica no seu próximo álbum Wild Life, de 7 de dezembro de 1971, dizendo na música Some People Never Know que algumas pessoas podem dormir à noite achando que o amor é uma mentira; que eu (Paul) sou uma pessoa como você (John), por isso, ame; porém, algumas pessoas nunca sabem...

Mas mesmo nesse álbum, Wild Life, Paul escreve a música Dear Friend para John, onde ele diz: " - Dear friend, what's the time? Is this really the borderline? Does it really mean so much to you? Are you afraid, or is it true? Dear friend, throw the wine, I'm in love with a friend of mine. Really truly, young and newly wed. Are you a fool, or is it true? Are you afraid, or is it true?". ("Caro amigo, qual é o tempo? Esta é realmente a fronteira? Será que isso realmente significa muito para você? Você tem medo, ou é verdade? Caro amigo, passe o vinho, eu estou apaixonado por um amigo meu. Verdade mesmo, jovens e recém-casados. Você é um idiota, ou é verdade?").

E, no final de 1971, John, perguntado pelas trocas de farpas com o antigo parceiro, finaliza o assunto dizendo: "- É o meu melhor amigo. Eu não posso brigar com um amigo meu?".

Por último, em 26 de abril de 1982, portanto após o assassinato de John, Paul escreve para ele a música Here Today, do álbum Tug Of War, na qual, dessa vez bem explicitamente, ouve-se: " - I love you".

Mas, indo para a canção de hoje, separei exatamente uma filmagem de um ensaio de John (extraída do filme Imagine), cantando a 'paulada em Paul' How Do You Sleep. George  está na guitarra e em determinado momento dá uma olhada meio estranha para John, como se não concordasse com tudo aquilo. Será? Posteriormente, há um trecho de uma entrevista, na qual John disse que, na verdade, tudo que ele disse era referência à ele mesmo...

E o que você acha?  Listen!

5 comentários:

Anônimo disse...

Só uma coisinha, a letra de Some People never know é "Some people can sleep at nighttime, believing that love is a lie/I'm only a person like you, love, and who in the world can be right at the right time?", ou seja: "Algumas pessoas conseguem dormir à noite, achando que o amor é uma mentira/Sou só uma pessoa como você, amor, e quem nesse mundo pode estar certo na hora certa?" e não "por isso, ame", love sendo um jeito carinhoso de chamar alguém. Bom, faz mais sentido assim, olhando o resto da letra, que parece ser bem pacífica e devido ao fato de Dear Friend - que é meio que um pedido de desculpa - estar no mesmo disco.

Mas fora isso, amei o seu o texto. Adoro ler sobre toda essa relação deles, que são meus dois beatles preferidos. Aliás, é difícil achar alguém que ache que Dear Friend é pro John, hein! Por causa daquela coisa de "I'm in love with a friend of mine"...

Carlos Edu Bernardes disse...

Obrigado pela leitura e pelos comentários! FABraços! Volte sempre!

Helena J. disse...

Brigaram tanto, para, no final, um dizer que amava o outro.

Vagner Soares disse...

Será que é só eu, que acha que "I Know" foi um pedido de desculpa do John para Paul???

Carlos Edu Bernardes disse...

É complicado né, Vagner... Não sei, mas me parece que ela é mais para Julian, com quem John carregou um peso enorme por não ter conseguido criá-lo, pois ele mesmo soube na pele o que é ter um pai ausente. 4FABraços}!