quinta-feira, dezembro 20, 2012

I JUST HAD TO LET IT GO

John gravou essa versão de Watching The Wheels no seu apartamento no Dakota, no ínicio de 1980. Ela é uma das canções que foram lançadas no seu último álbum, de novembro de 1980, chamado Double Fantasy.

Após a morte de John, o álbum e a música (Just Like) Starting Over atingiram o primeiro lugar nas paradas de sucesso do mundo inteiro. Woman e Watching the Wheels seguiram-na. Listen!

Watching The Wheels (home)

quarta-feira, dezembro 19, 2012

CASBAH!

Pete Best, nascido Randolph Peter Best em Madras, India em 24 de novembro de 1941, juntou-se aos Beatles, John, Paul, George, e Stu Sutcliffe, em 1960. Isso porque o baterista anterior, Tommy Moore, havia deixado o grupo há quase um ano. A mãe de Pete, Mona Best, administrava o The Casbah Club, um "clube de porão" na Hayman's Green, sua casa, onde os Beatles se apresentavam no início das suas carreiras. Quando Allan Williams contratou os Beatles para tocarem por dois meses em Hamburgo, Pete foi chamado para ir junto.

Depois de algum tempo, e após a gravação na famosa Decca Records (Decca Tapes), sendo recusados, Pete Best foi substituído por Ringo Starr em 18 de agosto de 1962, pois George Martin, que viria a ser o principal produtor da banda, não aprovou o baterista na gravação de Love Me Do, já na gravadora EMI, de 6 de junho de 1962 (essa versão foi lançada no Álbum Anthology 1, de novembro de 1995). A segunda gravação, de 4 de setembro de 1962, teve Ringo na bateria e foi lançada no Álbum Past Masters Vol. 1, de 7 de março de 1988, e no Álbum One, de 13 de novembro de 2000. A terceira gravação foi feita em 11 de setembro de 1962, com Andy White na bateria e Ringo tocando tamborim, versão lançada no Álbum Please Please Me, em 22 de março de 1963.

Ufa! Pois bem! 50 anos após esse fato, The Pete Best Band lançou em 16 de setembro de 2008 um CD intitulado Hayman's Green, exatamente o nome da rua onde se situava o Casbah Club. A banda é formada pelo seu meio-irmão Roag (filho de Neil Aspinall, amigo de infância dos Beatles e ex-presidente da Apple Records, falecido em 2008) na bateria e percussão, Phil Melia na bateria, gaita e vocais, Paul Parry na guitarra, piano, teclado e vocais, e Tony Flynn nos vocais e guitarra.

Hoje você vai ouvir a canção Grey River do álbum Hayman's Green.Click!

Grey River (released)

segunda-feira, dezembro 17, 2012

WHEN THE NIGHT HAS COME

Stand By Me, canção de Ben E. King, Jerry Leiber e Mike Stoller, foi lançada em 1961. Ela aparece na posição 121 da Rolling Stone's List, que contém as 500 grandes canções de todos os tempos. Foi considerada também, em 1999, como a quarta canção mais apresentada no século XX, algo em torno de 7 milhões de performances.

John sempre gostou de Stand By Me, tanto é que a gravou no seu álbum Rock 'n' Roll, de fevereiro de 1975, que reunia as suas canções de rock preferidas. Ele a gravou também num single, que foi lançado em março nos EUA e em abril no REINO UNIDO no mesmo ano. Neste single, o lado B contém Move Over Ms. L, uma canção de John que não saiu em nenhum álbum dele, sendo que, originalmente, ela iria figurar na track list do álbum Walls and Bridges, de 1974, o que acabou não acontecendo.

Ok! Então o blog traz hoje um take de Stand By Me com os Beatles! Esta gravação descontraída faz parte das Get Back Sessions, de 1969. Play it loud!

Stand By Me (rehearsal)

sexta-feira, dezembro 14, 2012

BETTER GET HOME

A canção Get Back foi criada aos poucos em janeiro de 1969, durante as gravações do que seria o filme Let it Be. Nasceu como um comentário à crescente resistência dos ingleses aos paquistaneses que chegavam à Inglaterra em busca de sub-empregos. Suas versões iniciais são conhecidas como Commonwealth, take que o blog separou para você hoje.

Mas antes, um pouco mais de história: Nessa versão que você vai ouvir hoje, quando a canção não era mais que um rock and roll no estilo de Elvis, Paul, ainda improvisando a letra, ataca o refrão: “ -Commonwealth ” — e Lennon, em falsete, responde: “ -Yes?“. McCartney não segura a risada, e a brincadeira dá o tom da música dali em diante. Isso ajuda a confundir um pouco o mito da banda que não se suportava durante as gravações do Let it Be. No mínimo mostra o quanto todos os dois ficavam felizes quando viam que agradaram ao parceiro.

As versões seguintes — melodicamente já Get Back, mas ainda sem letra além do refrão — são conhecidas por No Pakistanis; uma das gravações começa com Paul dizendo: “ -Don’t dig no Pakistanis, taking all they people’s jobs“ .

Finalmente, a canção se transforma na Get Back que ouvimos no álbum Let it Be, sem nenhuma referência à questão dos imigrantes — e dela há uma infinidade de versões, como uma cantada por John, uma por Paul, supostamente em alemão e uma por George, durante  a sua turnê americana de 1974.

Ok! Vamos ouvir então uma das primeiras versões de Get Back, ainda com o nome de Commonwealth. Ok, boys!

Commonwealth (early Get Back)


Commonwealth

Immigrants. Wilson Health said to the immigrants you
Imigrantes. Wilson Health disse aos imigrantes
"better get back to the
"melhor vocês voltarem para a
commonwealth homes". Yeah, yeah, yeah I said get back
pátria de vocês". Sim, sim, sim eu disse voltem pra
home. Now Enoch Powell was
casa. Agora Enoch Powell havia
said to the folks color of his skin. He said "don't
dito ao pessoal sobre a cor da pele. Ele disse "não se
care". So he said "you better
importe". Então ele dise "é melhor você
get up". He said he said to Enoch Powell "you better go
se levantar". Ele disse para Enoch Powell "é melhor você ir pra
home". So Wilson said to.
casa". Então Wilson disse:
"We got to swing. We have to go the hill". So Wilson
"Temos que dançar. Temos que ir para o morro". Então Wilson
Health said to Enoch Powell
Health disse para Enoch Powell
"we got to the commonwealth. Commonwealth, yeah
"temos que ir para nossa pátria. Pátria é
commonwealth, yeah commonwealth
pátria, é pátria
yeah, commonwealth yeah".
é, pátria é".
Commonwealth, yeah. If you don't want trouble you got
Pátria, é. Se você não quer problemas você deve
to go home. To India.
voltar para casa, para Índia
I've have enough of that. I'm coming back, yeah to
Já tive o suficiente. Estou voltando, é
England. Dirty Enoch Powell.
para a Inglaterra. Enoch Powell Sujo.
Commonwealth. Commonwealth, yeah. Don't you hear me
Pátria, pátria, é.Você não me ouve?
commonwealth, yeah. Well I
Pátria é, bom eu
check Austria England India. Enoch powell. Oh
veja Áustria, Inglaterra, Índia.Enoch powell. Oh
commonwealth, yeah. Oh
Oh nação, é . Oh
commonwealth, yeah. Yeah commonwealth, yeah.
nação, é. É nação, é.
Commonwealth, yeah. It's to common to
Nação, é. É tão comum pra
me. I came down the street to New Zealand.
mim. Eu vim das ruas para Nova Zelândia.
Commonwealth. Commonwealth, yeah.
Nação. Nação, é.
Commonwealth, yeah. Enoch Powell commonwealth, yeah.
Nação, é. Enoch Powell nação, é.
Immigrants. commonwealth
Imigrantes, nação.

terça-feira, dezembro 11, 2012

YOU DOG

O meu beatlefriend Alexandre Amorim, da Beatles Brasil, enviou-me a canção There You Are, Eddie. Ele me disse que ela foi tocada em 24 de janeiro de 1969, nas Get Back Sessions, e parece que apenas Paul e John estão ali no violão e na guitarra, respectivamente. Amorim já ouviu dizer que a música é uma homenagem de Paul a um de seus cachorros (Eddie), mas não tem certeza. E continua: 

" -Big Charles, note bem a letra (tirei de ouvido, não sei se está totalmente certa, mas dá pra se ter uma ideia):

There you are Eddie 
Teddy, Eddie 
There you are Eddie 
Eddie, you dog 

You pretend to be in with the in-crowd 
And you think that you're one of the boys 
But you know that you been barking too loud 
And you know that I can't stand the noise 

No meio da gravação, John e Paul riem, talvez pela letra tola. Mas o fato é que, se John ficou paranoico com a canção Get Back, como se fosse cantada para Yoko, esta aqui tem uma letra muito mais contundente. Vejam a tradução: 

Aí está você, Eddie Eddie, seu cachorro 
Você finge estar por dentro da turma 
E acha que é um dos caras 
Mas você sabe que late muito alto 
E sabe que eu não aguento esse barulho 

Não pode ser considerada uma 'boa homenagem' a Yoko, feita por seu arquiinimigo, Paul McCartney?"

Beleza, Amorim, acho que sim! Hehehe! Obrigado pelo envio!

Agora vamos ouvir a rara canção com Paul e John. Ok, boys!

There You Are Eddie (unreleased)

quinta-feira, dezembro 06, 2012

ONE AND ONE AND ONE IS THREE

Come Together é uma canção de John e creditada à dupla Lennon / McCartney. 

Ela é a faixa que abre o álbum Abbey Road, de 1969. Um mês após o lançamento do álbum, mais precisamente em 31 de outubro daquele ano, ela foi lançada como lado B de um single que teve Something, de George, no lado A.

Diretamente das Abbey Road Sessions vem o take 1 de Come Together que você vai ouvir agora. Enjoy!

 Come Together (take 1) 

sábado, dezembro 01, 2012

THE WALRUS WAS PAUL

Glass Onion é uma canção dos Beatles lançada no álbum The Beatles ou Álbum Branco de 1968. Escrita por John Lennon e creditada à dupla Lennon-McCartney.

A música possui significados ocultos através de outras canções deles tais como: Strawberry Fields Forever, There's a Place, I'm Looking Through You, I Am The Walrus, Within You Without You, Lady Madonna,  The Fool on the Hill, e Fixing a Hole.

Uma das últimas músicas com apelo psicodélico, Lennon criou pensando em todo aquele mito envolvendo a lenda da morte de Paul McCartney e as mensagens ocultas de Sgt. Peppers: “- Eu lancei aquela de the walrus (morsa) era Paul, só para confundir mais as pessoas. Poderia ter sido ‘o fox terrier era Paul’ que teria dado no mesmo, entende? Era apenas um pouco de poesia sobre isso e eu estava ficando farto daquela coisa sobre a morte de Paul, Peppers, escutar discos ao contrário e toda essa baboseira.” Além disso, a referência The Walrus was Paul era tanto sobre a música I Am The Walrus (na capa do disco Magical Mystery Tour, Paul era o personagem da morsa ou Walrus em inglês) quanto a Lennon “dizendo algo legal sobre Paul” tentando se reaproximar do companheiro na época. Coincidentemente a frase anterior é “well here's another clue for you all” ou “bem, aqui vai mais uma pista pra vocês todos”.

Looking Through a Glass Onion pode ser traduzido como, “Olhando Pela Cebola de Vidro” ou “Olhando Através do Óculos de Cebola” (apelido daqueles óculos redondos usados por John).

A frase dedicada a McCartney: “Eu falei sobre a morsa e eu/Você sabe o quanto éramos próximos/Aqui vai mais uma pista pra vocês todos/A morsa era o Paul.

Ela foi gravada em 11 de setembro de 1968, com todos os integrantes.

O final um tanto quanto sombrio, na qual a música corta repentinamente dando continuidade a brincadeira de mensagens subliminares, é orquestrada por George Martin. A música dita o que iria ser um dos padrões de composição de Lennon futuramente como Cold Turkey e Instant Karma. Nos trechos das referências é possivel ouvir instrumentos usados nas versões originais, como a flauta de The Fool on the Hill, por exemplo.

E agora você vai ouvir o take 33 da canção! Let's go, boys!

Glass Onion (take 33)


Fonte do texto: Wikipedia

quarta-feira, novembro 28, 2012

THE HORIZON IS OPEN

Eu li no excelente blog BEATLES AT THE BBC que entre março de 1962 a junho de 1965, os Beatles mostraram para o mundo que uma nova era estava por acontecer.

As apresentações em programas de rádio estavam no auge e isso muito contribuiu para que a BBC de Londres fosse conhecida mundialmente.

Foram 52 apresentações e, além delas, existem outras que não foram ao ar, por isso chamadas de The Lost Beebs. Encontram-se no mercado mundial dezenas de versões das sessões da BBC e em alguns casos, até mais completas, com introdução e apresentação do locutor, como é o caso do LP The Beatles na BBC.

E, portanto, este blog foi até o ano de 1963 para trazer a canção The Honeymoon Song, de Mikis Theodorákis, cujo título original é An Thimithis To Oniro Mou, que os Beatles gravaram no programa Pop Go The Beatles #8.

Mas quem é Mikis Theodorákis, o autor da canção de hoje?

Míkis Theodorákis, em grego Μίκης Θεοδωράκης, (Chios, 29 de julho de 1925) é um compositor e político grego mundialmente conhecido pela trilha sonora dos filmes hollywoodianos Zorba, o Grego (1964) e Serpico (1973). Em 1980-1982 foi-lhe atribuído o Prêmio Lênin da Paz. Theodorákis é também conhecido por sua posições políticas de esquerda, as quais expressa abertamente (incluindo durante o governo da junta militar que comandou a ditadura grega). Militou em diversas campanhas de direitos humanos, como o conflito do Chipre, as tensões entre a Turquia e a Grécia, os ataques da OTAN contra a Sérvia, o seqüestro de Abdullah Öcalan ou o conflito israelo-palestino. Recentemente, suas declarações contra George W. Bush e Ariel Sharon suscitaram diversas críticas.

Ok! Isto posto, vamos ouvir os Beatles em início de carreira cantando The Honeymoon Song, com Paul no lead vocal, gravada no dia 16 de julho e que foi para o ar em 6 de agosto de 1963. John, Paul, George and Ringo!

The Honeymoon Song (cover - BBC)

domingo, novembro 25, 2012

NELSON AND SPIKE WILBURY

The Traveling Wilburys foi um supergrupo de música integrado por George Harrison, Jeff Lynne, Roy Orbison, Bob Dylan e Tom Petty.

A primeira reunião informal teve lugar no estúdio de gravação de Bob Dylan em Santa Mônica, Califórnia, onde se juntaram Roy Orbison, Tom Petty e George para gravar a canção Handle with Care, que faria parte do lado B do single This Is Love, extraído do álbum Cloud Nine de George.

Por causa dos bons momentos que passaram juntos em estúdio de gravação, decidiram gravar um álbum em um período de dez dias, devido principalmente à iminente turnê de Bob Dylan, no que cada membro contribuiu com várias canções.

Lançado em outubro de 1988, sob vários pseudônimos, o álbum Traveling Wilburys Vol. 1 alcançou o posto número 79 da lista dos 100 melhores discos dos anos 80, publicada pela revista musical Rolling Stone. Posteriormente, seria indicado como Álbum do Ano no prêmio Grammy.

Apesar da morte de Roy Orbison em 6 de dezembro de 1988, o grupo gravou um último álbum sob pseudônimos distintos, ainda que conservando o nome Wilbury. A modo de homenagem, no videoclipe da canção End Of The Line figura uma guitarra e um retrato de Roy Orbison.

Durante certo tempo, a imprensa especulou sobre uma possível entrada no grupo de Del Shannon, mas seu suicídio em 1990 acabou com este projeto. O segundo álbum, chamado Traveling Wilburys Vol. 3 (sim! Não há o Vol.2!), seria o último trabalho do grupo, precedido do single Nobody's Child.

O falecimento de Roy Orbison, vocalista do grupo, e a onipresença compositora de Bob Dylan no segundo álbum, (mais da metade das canções foram compostas por ele), contribuíram para um final amistoso do grupo.

O nome "Wilbury" foi um termo familiar utilizado por George Harrison e Jeff Lynne durante a gravação do álbum Cloud Nine. Em inglês "We’ll bury them in the mix" pode ser traduzido como "nós os enterramos na mistura".

Veja agora os integrantes do álbum Traveling Wilburys Vol. 1:

Nelson Wilbury - George
Lefty Wilbury - Roy Orbison
Otis Wilbury - Jeff Lynne
Charlie T. Wilbury Jr. - Tom Petty
Lucky Wilbury - Bob Dylan

No álbum Traveling Wilburys Vol. 3:

Spike Wilbury - George
Clayton Wilbury - Jeff Lynne
Muddy Wilbury - Tom Petty
Boo Wilbury - Bob Dylan

Os discos lançados foram:

Traveling Wilburys Vol. 1 - 1988
Traveling Wilburys Vol. 3 - 1990
The Traveling Wilburys Collection - 2007 (2 CDs + 1 DVD).

E hoje você vai ouvir a canção Handle With Care com os Traveling Wilburys. Enjoy!

The Traveling Wilburys - Handle With Care (released)

quinta-feira, novembro 22, 2012

BEETHOVEN IN PHILADELPHIA

A canção Roll Over Beethoven foi composta por Chuck Berry em 1956. Segundo Berry, ele a compôs para atazanar sua irmã, que sempre ficava ao piano tocando músicas clássicas enquanto ele queria tocar outros estilos mais "jovens". Ela está entre os seus maiores sucessos.

Em 2004 a canção foi classificada como a número 97 da lista da Rolling Stone das 500 Maiores Canções de Todos os Tempos.

Muita gente gravou a canção, inclusive os Beatles, na voz e guitarra de George Harrison, no dia 30 de julho de 1963 para seu segundo álbum britânico, With The Beatles.

E o blog separou para hoje uma gravação de Roll Over Beethoven feita pelos Beatles no dia 2 de setembro de 1964, ao vivo do Convention Hall na Philadelphia, USA. Ok, Boys!

Roll Over Beethoven (cover - live 09/02/64)

terça-feira, novembro 20, 2012

ZZZZZZZ...


I'm Only Sleeping é uma canção de John, porém creditada à parceria Lennon/McCartney, foi lançada no álbum Revolver, em 1966. 

A canção apresenta um solo duplo de guitarras ao contrário, feito por George Harrison, que depois foi adicionado eletronicamente à canção. 

Porém você vai ouvir agora o take de número 1, quando ainda não havia sido adicionado o solo invertido de George. Listen! 

 I'm Only Sleeping (take 1)

sexta-feira, novembro 16, 2012

ROCKBAND: NOWHERE MAN!


O blog posta hoje a canção Nowhere Man, uma composição de John mas atribuída a Lennon/McCartney, numa mixagem feita para o Beatles Rockband, um maravilhoso videogame do Play Station. Enjoy! 

Nowhere Man (rockband - stereo)

quarta-feira, novembro 14, 2012

'CAUSE YOU KNOW DARLING I LOVE ONLY YOU

Don't Pass Me By é uma canção dos Beatles composta por Ringo e lançada no álbum The Beatles ou Álbum Branco, de 1968.

Ela é a segunda contribuição como compositor que o baterista Ringo deu aos discos dos Beatles. A primeira foi What Goes On, do álbum Rubber Soul, de 1965 e a outra e última seria Octopus's Garden, presente no disco Abbey Road, de 1969.

Como se sabe, Ringo compôs muito pouco nos Beatles. Certa feita, numa conversa, foi perguntado a ele o porquê disso, e Paul respondeu por ele interrompendo: “ -Don't pass me by, don't make me cry, don't make me blue.”. Possivelmente Ringo já tinha tentado mostrá-la na época...

Curiosidade: A frase "sorry that I doubted you, I was so unfair, You were in a car crash and you lost your hair" é citada como mais uma pista sobre a Lenda da Morte de Paul McCartney. O trecho " ...you lost your hair" seria uma referência a canção When I'm Sixty-Four escrita por Paul e presente no disco Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, de 1967, "When I get older losing my hair...".

Hoje você vai ouvir o take 3 (interrompido) e mixado logo a seguir com o take 5 completo. Let's go, Ringo!

Don't Pass Me By (take 3 - breakdown - and take 5 complete)

terça-feira, novembro 13, 2012

MONEY CAN'T BUY

All My Trials é uma das principais canções norte-americanas, de autor desconhecido. Ouvia-se muito essa canção durante os protestos das décadas de 50 e 60 nos Estados Unidos. All My Trials é uma das músicas que compõe a Trilogia Americana, adaptada por Mickey Newbury e interpretada por Elvis Presley.

No post de hoje você vai ouvir Paul cantando All My Trials ao vivo, em Milão, na noite de 27 de outubro de 1989. Come on, Paul!

All My Trials (live)

segunda-feira, novembro 12, 2012

SOME THINGS TAKE SO LONG

Segue a linda canção de George, Isn't It a Pity, gravada durante o concerto de Yokohama, em 1º de dezembro de 1991.

Isn't It a Pity é uma das músicas do seu primeiro trabalho solo, elogiadíssimo, após a separação dos Beatles, intitulado All Things Must Pass, de 1970.

O Cláudio Teran, da Beatles Brasil enviou-me o seguinte comentário sobre essa faixa: "Durante a execução de Isn't It a Pity George Harrison utiliza um enorme violão (creio que um Takamine) e fica todo tempo fazendo a base sonora e cantando. O solo de guitarra é do Clapton numa parte, e do Andy Fairweather Low na outra. Vale o registro que o concerto de Yokohama é um piratão fundamental, embora o som não seja dos melhores, mas documenta o primeiro show da tour 1991.". Enjoy!

Isn't It a Pity (live Yokohama 1991)

domingo, novembro 11, 2012

A HARD YEAR

Everyone Had a Hard Year é uma demo de John gravada em dezembro de 1968 no apartamento de Ringo, na Montagu Street, Londres. Você vai perceber que o estilo do violão de John é o mesmo que ele aprendeu com Donovan na Índia e que usou para compor Julia e mais tarde Dear Prudence, entre outras.

Você vai perceber também que soarão familiares as frases cantadas por John nessa demo, pois elas estão na canção I've Got a Feeling, do álbum Let it Be, gravado em 1969 e lançado em 1970. I've Got a Feeling é uma música claramente escrita por Paul para Linda com a utilização dessa inacabada Everybody Had a Hard Year. John tinha tido um ano difícil mesmo, com sua separação, o afastamento de seu filho Julian, as complicações com os Beatles e a Apple e a não aceitação da Yoko pelos membros da banda. Ok, Johnny!

Everyone Had a Hard Year (demo)

quarta-feira, outubro 31, 2012

A TOUCH CAN MEAN SO MUCH

A canção That Means a Lot, embora escrita por Lennon e McCartney para o álbum Help! permaneceu inédita até 1996, quando apareceu no projeto Anthology, disco 2.

Ela foi escrita principalmente por Paul, que cantou os vocais. Com um padrão de bateria semelhante a Ticket To Ride, e um arranjo rebuscado com eco de fita e vibrato, em sua primeira tentativa os Beatles criaram um som bastante diferente de tudo que eles tinham gravado.

John disse à época que depois de várias tentativas eles simplesmente não conseguiam cantá-la e que chegaram à conclusão de que seria melhor passá-la para alguém.

That Means a Lot, então, foi dada ao cantor americano PJ Proby, que tinha amizade com o grupo após participar do especial de TV Around The Beatles, em abril de 1964.

Lançada em setembro de 1965, a versão de Proby - ligeiramente mais lenta do que a dos seus criadores, e com um arranjo de cordas escrito e realizado por George Martin - chegou ao número 30 na parada de singles do Reino Unido.

E o blog separou hoje uma mix com os Beatles dos takes 20 e 21 da canção. Enjoy!

That Means a Lot (mix takes 20 and 21)

segunda-feira, outubro 22, 2012

CONCEPT

Acoustic é um álbum de John, lançado em 1º de novembro de 2004, e que traz uma compilação de demos, outtakes e algumas performances ao vivo.

Do Acoustic o blog separou hoje a canção God, que meu amigo Cláudio Teran da Beatles Brasil disse ser a faixa 23 da coleção de bootlegs Lost Lennon Tapes e que provavelmente seja a primeira demo de God a ser gravada. Repare que aqui ele canta 'I don't believe in Dylan' e não 'I don't believe in Zimmerman' (sobrenome de Bob Dylan), que é como está na versão oficial lançada no álbum John Lennon and Plastic Ono Band de 1970. Listen!

God (acoustic)

terça-feira, outubro 16, 2012

FABFOUR AND QUATRO

Suzi Quatro (nascida como Susan Kay Quatrocchio em 3 de Junho de 1950 em Detroit, Michigan) é uma cantora, baixista, personalidade da rádio e atriz norte-americana. 

Ela teve uma série de hits de sucesso na década de 1970, que encontraram maior repercussão na Europa do que em sua terra natal, e, um papel recorrente no seriado de tv americano Happy Days

Suzi Quatro mudou-se para o Reino Unido em 1971, após ser descoberta em Detroit pelo produtor musical Mickie Most, que produziu The Animals, Jeff Beck, Lulu e Donovan. Nesta época Most havia fundado sua própria gravadora, RAK Records, que fez estrelas como Hot Chocolate e Mud. 

O primeiro single de Suzi, Rolling Stone, não alcançou popularidade exceto em Portugal, onde chegou ao topo das paradas. Seu segundo single Can the Can (1973) foi um hit número um em todo Europa e Austrália, e foi seguido por mais três sucessos: 48 Crash (1973), Daytona Demon (1973), e Devil Gate Drive (1974), todos pela RAK Records

Paul McCartney disse certa vez que Suzi Quatro é uma das melhores baixistas de rock de todos os tempos. Isso além de ser uma grande cantora e compositora. (Se Paul não disse também que ela foi a mais linda e a mais sexy baixista de todos os tempos naquelas roupas apertadíssimas de couro, no mínimo deve ter pensado!).

E o post de hoje traz a canção I Wanna Be Your Man (Lennon/McCartney) interpretada pela nossa convidada Suzi Quatro. Rock! 

Suzi Quatro - I Wanna Be Your Man (cover - guest)

sexta-feira, outubro 12, 2012

AND YOUR BIRD CAN... LAUGH?

Hoje você ouvirá uma pérola das gravações do Álbum Revolver, de 1966. Posteriormente essa tomada de And Your Bird Can Sing, com todos eles caindo na risada, foi incluída no álbum Anthology nº 2, de 1996. Porém, na que você vai ouvir abaixo há um pormenor: os canais das risadas foram colocados em evidência. Cool! Enjoy!

And Your Bird Can Sing (mix)

terça-feira, outubro 09, 2012

HAPPY BIRTHDAY, JOHN!

Hoje, quando John completaria 72 anos de idade, disponibilizo aqui a maravilhosa canção composta por Elton John em sua homenagem. Elton John, além de um grande amigo, é padrinho de Sean Lennon, filho único de John e Yoko, que também aniversaria hoje (37 anos). Elton lançou Empty Garden (Hey hey, Johnny) no seu Álbum Jump Up! de 1982. Ouça e acompanhe a letra. Ok, Elton!



Empty Garden (Hey, hey, Johnny)

Elton John

O que aconteceu aqui
Já que o pôr do sol de Nova Iorque desapareceu?
Eu encontrei um jardim vazio
entre aquelas lajes

Quem viveu aqui?
Ele deve ter sido um jardineiro que se importava muito
Que capinou as lágrimas e fez crescer uma boa colheita
Agora tudo parece estranho
É engraçado como um inseto
pode estragar tantos grãos

E pra que serve
Esse pequeno jardim vazio perto da porta?
E nas falhas pela calçada
nada cresce mais

Quem viveu aqui?
Ele deve ter sido um jardineiro que se importava muito
Que capinou as lágrimas e fez crescer uma boa colheita
E nós estamos tão pasmos!
Estamos quebrados e ofuscados
Um jardineiro como aquele ninguém pode substituir

E eu continuo batendo na porta
mas ninguém responde
E eu continuo batendo
o dia inteiro
Oh, e eu continuo chamando
Oh, hey, hey Johnny!
Você pode sair para brincar?

E por suas lágrimas
Alguns dizem que ele mostrou o seu melhor na juventude
Mas ele teria dito que as raízes crescem e ficam mais fortes
se apenas ele pudesse ouvir
Quem viveu lá?
Ele deve ter sido um jardineiro que se importava muito
Que capinou as lágrimas e fez crescer uma boa colheita
Agora nós rezamos para chover
e com cada gota que cai
Nós escutamos, nós escutamos seu nome...

E eu continuo batendo na porta
mas ninguém responde
E eu continuo batendo
o dia inteiro
Oh, e eu continuo chamando
Oh, hey, hey, Johnny!
Você pode sair para brincar
No seu jardim vazio?
Johnny?
Você pode sair para brincar
no seu jardim vazio?

sábado, outubro 06, 2012

THIAGO'S MEDLEY


Hoje o blog dá espaço a um convidado especial, o Thiago Heinrich, colega da lista Beatles Brasil de Porto Alegre. 

Ouça o que ele conseguiu fazer com medley dos Beatles saído do álbum Abbey Road, notadamente com uma roupagem nova para o final, com Her Majesty

Ele está nos vocais, bateria, piano, guitarras e baixo! Valeu, Thiago! 

Thiago Heinrich - Medley Abbey Road (guest - cover)

terça-feira, outubro 02, 2012

OH YEAH OH YEAH

I'll Get You é uma canção escrita por John e Paul. Ela foi gravada 1963 e lançada como lado B de um single, com o lado A sendo She Loves You.

Hoje você vai ouvir I'll Get You ao vivo com os Beatles no dia 13 de outubro de 1963 no London Palladium durante uma "Sunday Night at London Palladium". Just push play!

I'll Get You (live)

quarta-feira, setembro 19, 2012

GEORGE AND BADFINGER


O blog hoje vai falar do Badfinger. Espero que você goste, pois a banda teve um relacionamento muito íntimo com os Beatles. Veja: 

O Badfinger foi uma banda britânica de power pop, considerada uma das mais promissoras bandas de rock do final dos anos 1960, fazendo parte da Apple (que apesar do fim dos Beatles ainda manteve-se na ativa). Experimentou o gosto do sucesso tanto na Inglaterra quanto nos Estados Unidos, mais até do que muitas outras bandas ousaram sonhar. Sua formação mais conhecida é: Pete Ham, Tom Evans, Mike Gibbins e Joey Molland.

Eles contaram com uma coleção expressiva de hits como Come And Get It (composta por Paul McCartney), No Matter What, Day After Day, Baby Blue, Without You (gravado com enorme sucesso por Harry Nilsson e Mariah Carey, entre muitos outros mas, apesar de tudo isso, não conseguiram desfrutar do sucesso de seu trabalho, tendo uma história atribulada e até trágica. Após anos de turnês e inúmeros processos legais (que apenas serviram para enriquecer alguns advogados), os líderes criativos da banda - Pete Ham e Tom Evans - acabaram, em momentos distintos, cometendo suicídio, ambos por enforcamento... 

O nome Badfinger foi inspirado no nome original da canção With A Little Help from My Friends dos Beatles, que iria se chamar Badfinger Boogie. John chegou a sugerir que a banda se chamasse The Glass Onion And The Grand Prix, mas resolveram ficar como Badfinger mesmo. 

Em paralelo à realização de seus próprios discos e composições, Ham, Evans e Molland participaram também de vários trabalhos importantes como o single It Don´t Come Easy, de Ringo, o álbum All Things Must Pass, de George e o Concerto para Bangladesh, além de trabalharem no álbum Imagine de John. Mike Gibbins viria a morrer de causas naturais em 2005 e ainda hoje Joey Molland excursiona como Joey Molland's Badfinger mantendo viva a memória da banda.  

E o blog resolveu trazer então o Badfinger como convidado na postagem de hoje com a canção Day After Day, com direito a duelo de slide guitar entre Pete Ham e George Harrison, que foi sucesso no mundo inteiro, chegando a ganhar o disco de ouro nos Estados Unidos. Listen! 

Day After Day (Badfinger - guest with George Harrison)


Fonte: Wikipédia

domingo, setembro 16, 2012

IN MY PLACE

O álbum Beatles For Sale foi gravado de 14 de agosto a 26 de outubro e lançado em 4 de dezembro de 1964.

É um álbum que contém vários covers, pois os Beatles estavam voltando de várias turnês e apresentações na TV e, pressionados pela gravadora, precisavem lançar um álbum para as festas de fim de ano. You know, money, what I mean. 

Beatles For Sale foi o quarto disco dos Beatles, em apenas 21 meses desde o primeiro... Há quem torça o nariz para esse trabalho, não por causa da qualidade dos covers escolhidos, mas sim porque os Beatles, no álbum anterior A Hard Day's Night, só tinham incluído composições próprias, o que poderia dar a entender que algum tipo de retrocesso estava se pronunciando. 

Na verdade foi tudo uma questão de pressa e tempo, pois nessas mesmas Beatles For Sale Sessions eles gravaram ainda as músicas I Feel Fine e She's A Woman que foram lançadas num mesmo single, em 23 de dezembro de 1964 nos EUA e 27 de dezembro de 1964 no REINO UNIDO, mas não estiveram presentes no álbum. I Feel Fine, o lado A do single, foi direto para o primeiro lugar nas paradas de sucesso. 

Bom, hoje você vai ouvir uma mix com os takes 1,2 e 3, com muita risada e erros, da canção No Reply, de John, porém creditada à dupla Lennon / McCartney. Just push play! 

 No Reply (takes 1,2,3 - mix)

sexta-feira, setembro 14, 2012

ME

I Me Mine é uma canção de George e a última gravada pelos Beatles (sem John, que estava de férias na Dinamarca), em 3 de janeiro de 1970.

George fez a letra numa crítica ao egoísmo humano, ao sentimento de individualismo e à guerra de egos, ironicamente presentes no grupo naquele momento. I Me Mine, expressão que pode ser traduziada como “eu sou mais eu”.

O take de hoje é a versão original de I Me Mine, ainda sob a batuta de George Martin, já que, posteriormente, como todos sabemos, as fitas das Get Back Sessions foram entregues à Phil Spector que as transformaram no álbum Let it Be.

E no álbum Let it Be a versão de I Me Mine trabalhada por Phil tem 51 segundos a mais do que a versão que você vai ouvir agora, produzida por George Martin. Ok, George!

I Me Mine (original short basic version)

terça-feira, setembro 11, 2012

GET BACK JOHN

Ouça agora um sensacional take de Get Back, cantada por John durante as Get Back Sessions, no início de 1969. Listen!

Get Back (with John)

quinta-feira, setembro 06, 2012

TITLES

O outtake de hoje é a canção Dig it, creditada a Lennon/McCartney/Harrison/Starkey, e é uma das poucas canções creditadas a todos os beatles.

Porém, nesta gravação, há uma curiosidade. Nela, John canta todos os títulos das músicas que fariam parte da track list do então disco Get Back, mais tarde, em maio de 1970, lançado como Let it Be. Era janeiro de 1969. Cool!

Dig it (John sings the titles)

domingo, setembro 02, 2012

LIFE IS VERY SHORT

We Can Work It Out é uma composição de Lennon / McCartney, originária das Rubber Soul Sessions, de 1965.

Ela foi lançada em formato single, junto de Day Tripper, no dia 3 de dezembro no REINO UNIDO e 6 de dezembro de 1965 nos EUA.

Hoje você vai ouvir o take 2 da canção, com mais destaque para o harmonium (um harmônio é um instrumento de teclado semelhante a um órgão de lingueta. O som é produzido por ar que é soprado através de conjuntos de palhetas livres , resultando em um som semelhante ao de um acordeão) e com vocalização em ambos os canais. Ok, boys!

We Can Work it Out (more keybords and voice on both channels)

sexta-feira, agosto 24, 2012

SEASHELL EYES

John, como sabemos, nunca foi um exímio instrumentista, mas sua sensibilidade e agressividade criativa suplantavam o fato pela objetividade, carisma e envolvimento com que ele nos brindava com suas canções.

Ele nunca foi um cara de rodeios nem de papas na língua, tendo inclusive várias canções com partes substituídas. Direto e franco, porém sem jamais deixar a emoção de lado, até pelado junto de Yoko ele apareceu na capa de um dos seus disco, o Two Virgins.

John faz falta demais no mundo de hoje. Suas críticas ácidas, suas denúncias sobre absurdos e atentados contra a liberdade e a inteligência, com certeza estariam correndo espaços e - acredito - bombando na internet.

E o blog hoje, nesse ataque de saudades de um dos nossos ídolos maiores, traz o take de número 2 da belíssima canção Julia, no qual, descontraído, dedilha o violão com desenvoltura e dedicação, no estilo de tocar ensinado a ele por Donovan durante a estadia na Índia em 1968. No final, com ótimo humor, bate um papo rápido com a mesa de gravação.

Esse era John Lennon, um gênio vinte e quatro horas por dia. John!

 Julia (take 2)

terça-feira, agosto 14, 2012

WELL, I'LL TELL YOU SOMETHIN'


Hoje o blog, ainda emocionado pela bela homenagem a John Lennon no fechamento das Olimpíadas de Londres (o que John 'terá' sentido, caso tenha visto aquilo? Na certa, no mínimo, deve ter dado boas gargalhadas! Velho John! Como faz falta!), separou uma demo do mais irônico, humorado, sarcástico, genial componente dos Beatles

É a canção Serve Yourself, uma paródia da música Bob Dylan de 1979 Gotta Serve Somebody, Servir a Si Mesmo, na qual John solta toda a sua parafernália de cutucões e toques, com direito a vários palavrões!, para aqueles patinam na sua fé, apesar de que crenças espirituais e religiosas de Lennon nunca foram particularmente consistentes. Algumas demos foram gravadas em um piano, outras com guitarra acústica, e nem todas estavam carregados de palavrões. Dado o fato de que nenhuma das gravações poderia ter sido lançada comercialmente, é fascinante ouvir como a sagacidade de John era tão forte, tanto em privado quanto em público. John diria ainda em 1980: " - É lamentável quando as pessoas dizem, 'Este é o único caminho'. Essa é a única coisa que eu tenho contra essa pessoas. Se eles estão dizendo, 'Isto é a única resposta' Eu não quero ouvir sobre isso. Não há uma resposta para qualquer coisa.". Ela foi gravada, provavelmente, em 27 de junho de 1980 e só foi lançada oficialmente em 1998 no John Lennon Anthology

Vamos curtir John, numa de suas mais inspiradas críticas! God bless you, John! 

 Serve Yourself (unreleased - demo)


Serve Yourself
John Lennon

You say you found Jesus Christ
He's the only one
You say you found Buddah
Sittin' in the sun,
You say you found Mohammed
Facin' to the east
You say you found Krishna
Dancin' in the street.

Well, there's somethin' missin' in this god almighty stew
And it's your mother,
Your mother, don't forget your mother, lad.

You gotta serve yourself
Nobody gonna do it for you
You gotta serve yourself
Nobody gonna do it for you
Well, you may believe in devils and you may believe in laws

But if you don't go out and serve yourself, lad (ain't no room service here....?......)

It's still the same old story
A bloody holy war
A fight for love and glory
Ain't gonna study war no more
A fight for god and country
We're gonna set you free
We'll put you back in the stone age
If you won't be like me.

Get it?

You gotta serve yourself
Ain't nobody gonna do it for you
You gotta serve yourself
Ain't nobody gonna do it for you
Yeah, you may believe in devils and you may believe and laws

But Christ, you gonna have to serve yourself and that's all there is to it

So get right back here, it's in the bloody fridge!
God, when i was a kid, we didn't have stuff like this, t.v. fuckin' dinners and all that crap!
You fuckin' kids, all fuckin' the same, want a fuckin' car now?

Lucky to have a pair of shoes?

You tell me you've found Jesus Christ,
That's great and he's the only one
You say you've just found Buddah
And he's sittin' on his arse in the sun,
You say you found Mohammed
Kneelin' on a bloody carpet, facin' east
You say you found Krishna
With his bald head, dancin' in the street
Well, Christ now and you're bein' heard.

You gotta serve yourself
Ain't nobody gonna do it for you, that's right lad
You better get that straight into your fuckin' head!
You gotta serve yourself, you know that, who else is gotta do that for you
It ain't me, kid, i tell you that.

Well you may believe in Jesus
And you may believe in Marx
And you may believe in Marks and Spencers
And you may even believe in bloody woolworths
But there's something missin' in this whole bloody stew
And it's your mother, your poor bloody mother
She worked for you in the back bedroom
Full of piss and shit and fuckin' midwives
God, you can't forget that awful moment, you know

You should have been in the bloody war, lad, and you would know all about it
Well, i'll tell you somethin',

It's still the same old story
A holy bloody war

You know with the Pope and all that stuff
A fight for love and glory
Ain't gonna study no more war
I fight for god and country and the Queen and all that
We're gonna set you free, yeah,
Bomb ya back into the fuckin' stone age if you won't be like me
You know, now get down on your knees and pray
Well, there's something missin' in this god almighty stew And it's your god damn mother, you dirty little git Now get in there and was your ears.

Ha-ha-ha

sábado, agosto 11, 2012

BEWARE

Há quem diga que essa gravação foi feita em Abbey Road com os Beatles, mas há controvérsias...

Na verdade, ela é mais um take de George junto de Phil Spector para o disco triplo All Things Must Pass, lançado em 1970.

É isso aí.

E o seu blog preferido dos FabFour no Brasil resolveu colocá-la no post de hoje, para matarmos saudades do Quiet Beatle! God bless you, George!

Beware Of Darkness (rehearsal)

sexta-feira, agosto 10, 2012

IN SUMMER

Quando eu era menininho pequenininho e muito peralta, meus primos mais velhos passavam maus bocados com seus discos quando eu ia visitá-los. Vidrado em música desde moleque, eu me sentia realmente num mar de sons quando invadia seus quartos e de lá só saía para atender 'chamados da natureza' ou para ir embora, arrastado pela minha mãe. Que saudades daquele tempo, no qual os quartos de adolescentes eram inundados por incríveis Caetano Veloso, Pink Floyd, Elis Regina, Yes, Chico Buarque, Beatles e tantos outros... Que guri de sorte eu fui! 

Bom. Os meus primos tinham um conjunto chamado Tequila's Ritmo - nome que só fiquei sabendo quando descobri, chateado, que eles não eram os Beatles! Sim, eu, com toda aquela imaginação de criança, pensava que eles eram os garotos de Liverpool, pois eles tocavam muito suas músicas e eu quase não perdia um ensaio alternado entre as suas casas! Penso que foi por esses momentos aí é que eu comecei a ter gravado na minha alma tudo que se referia ao Fabfour pois, afinal, eles eram da minha família! Criança é a melhor coisa do mundo!

Nessa época, eu ouvia muito o LP Beatles Forever e, estranhamente, notava que na música Penny Lane havia um momento no qual parecia que algo fora cortado... Pois bem. Depois de anos e anos, pesquisando para alimentar o blog, foi que deparei com algumas anotações sobre este LP lançado no Brasil. Por alguma razão, ainda não se sabe porque, as palavras IN SUMMER, na 5ª estrofe, por volta de 1:36, foram cortadas. Além do mais, fiquei sabendo também que este trabalho, com material dos Beatles, foi um dos piores já mixados e editados até hoje. Êita, Brasilzão arretado da mulesta! Listen!

Penny Lane (Brazilian LP)


Penny Lane

(Lennon / McCartney)

In Penny Lane there is a barber showing photographs
Of every head he's had the pleasure to know
And all the people that come and go
Stop and say hello

On the corner is a banker with a motorcar
The little children laugh at him behind his back
And the banker never wears a mac
In the pouring rain...
Very strange

Penny Lane is in my ears and in my eyes
There beneath the blue suburban skies
I sit, and meanwhile back

In Penny Lane there is a fireman with an hourglass
And in his pocket is a portrait of the Queen.
He likes to keep his fire engine clean
It's a clean machine

Penny Lane is in my ears and in my eyes
Four of fish and finger pies
IN SUMMER, meanwhile back

Behind the shelter in the middle of the roundabout
A pretty nurse is selling poppies from a tray
And though she feels as if she's in a play
She is anyway

In Penny Lane the barber shaves another customer
We see the banker sitting waiting for a trim
Then the fireman rushes in
From the pouring rain...
Very strange

Penny Lane is in my ears and in my eyes
There beneath the blue suburban skies
I sit, and meanwhile back
Penny Lane is in my ears and in my eyes
There beneath the blue suburban skies...
Penny Lane.

quinta-feira, agosto 09, 2012

RIVER

Durante as Get Back Sessions no início de 1969, os Beatles se reuniram primeiramente nos gélidos Twickenham Studios em Londres e posteriormente (após algumas brigas e sumiços de George), no Apple Studio, quando o clima melhorou um pouco.

E, durante essas sessões, eles tocaram muitas músicas, deixaram rolar diversas jams e cantaram muitas canções de compositores preferidos, e até músicas dos primórdios do grupo. Poderíamos dizer que em poucos meses o grupo percorreu uma jornada musical entre lembranças, saudades, risos, genialidade, criação e... muita discussão.

Nessas Get Back Sessions podemos conferir os embriões de várias canções que iriam aparecer nos álbuns solo de cada um, já no ano de 1970. Algumas delas: Junk, Another Day,  (Paul); Jealous Guy, Crippled Inside (John); All Things Must Pass (George)...

O blog separou para hoje a canção (jam?) River Rhine, de compositor desconhecido, porém nota-se que Paul canta a letra de The Long and Winding Road lá pelos 2min:07seg da música. Enjoy!

River Rhine (unknown)

sábado, agosto 04, 2012

NOBODY EVER LOVED ME LIKE SHE DOES


E John conheceu Yoko. Numa fase de muita depressão e por isso enfurnado nas drogas, John viu em Yoko um novo alento para continuar a viver. Aquela japonesinha frágil e de fala baixa e mansa foi aos poucos conquistando o coração do beatle. John se encantou com suas posturas inusitadas, a maneira de fazer arte, suas frases e pensamentos nada usuais. Mas o que mais o deixou maravilhado foi seu enfrentamento de mundo, muito corajoso para uma mulher, ainda mais num país estranho naqueles bicudos anos 60, quando os movimentos eram tentativas de abalar os vários paradigmas do sistema. 

John até fez um derradeiro esforço em manter seu casamento com Cynthia após a viagem à India, tendo inclusive, no avião, dito para Cynthia que tudo seria diferente e que iriam ser uma linda família, ele, ela e Julian... Mas Yoko já tinha carimbado sua presença no coração de John. 

Assim, quando Cynthia voltou de uma pequena viagem à Grécia, encontrou John e Yoko na cozinha de sua casa (ela vestindo um roupão seu) tomando tranquilamente o café da manhã... E o resto, todos sabemos.

Nesse início de relacionamento, John compôs a canção Don't Let Me Down, onde ainda sugere seu estado de solidão e declama, ainda meio reticente, o amor que está sentindo, porém deixando perceber o quanto ainda estava inseguro quanto ao fato de finalmente ter encontrado alguém que o recebesse e o amasse incondicionalmente (Não me decepcione... Não me decepcione...). Resquícios das perdas da mãe Julia, do tio George, de Stu, de Brian Epstein? Bem provavelmente. 

E o blog separou hoje a canção Don't Let Me Down, com evidência nos vocais. Enjoy!

 Don't Let Me Down (vocals only)

domingo, julho 22, 2012

PAUL'S BROKEN THE GLASS

Ótimo momento de John nas tomadas 1, 2 e 5 (mono) da belíssima You've Got To Hide Your Love Away das Help Sessions. Essa gravação acabou entrando no Anthology 2, de março de 1996. Muito interessante a introdução que John faz, com uma divertida gozação com Paul, que deve ter se esbarrado num copo que cai e se espatifa no chão. Depois John, com grande delicadeza, pergunta, provavelmente a George, se ele estava pronto para iniciar. One, two, three, one two, three!

You've Got To Hide Your Love Away (takes 1, 2 and 5, mono)

terça-feira, julho 17, 2012

THIS IS A STORY OF A BOY NAMED TED

Paul compôs Teddy Boy na India, em 1968. Posteriormente trabalhou nela durante as Get Back Sessions no Apple Studio, em janeiro de 1969.

Em 17 de abril de 1970 Paul lança seu primeiro álbum solo, McCartney, que continha a música Teddy Boy. McCartney chegou ao segundo lugar nas paradas do Reino Unido, e primeiro lugar nos Estados Unidos.

O post de hoje traz, portanto, uma das gravações de Teddy Boy, com Paul ainda nos Beatles, de janeiro de 1969. No Anthology 3, de 1996, foi incluído um take da referida canção, porém diferente desse que você vai ouvir agora. So, just push play!

Teddy Boy (early take)

sábado, julho 07, 2012

RINGO'S VOICE

E o Ringo? 72 anos hoje! God bless you, big nose! E o blog traz hoje, em homenagem ao melhor baterista do rock de todos os tempos, o canal das vozes na sensacional With a Little Help From My Friends, onde a voz de Ringo salta límpida e depois os backings de Paul, John e George!

With a Little Help From My Friends é do Álbum Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band, gravado entre 6 de dezembro de 1966 e 21 de abril de 1967, nos estúdios da Abbey Road. Happy birthday, Ringo! Enjoy!

 With a Little Help From My Friends (voices)